“A miscigenação social”

Vale a pena fazer uma pausa no caos político e económico, fruto da guerra entre um grupo de irresponsáveis, liderado pelo presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, e uma presidente falha de competências e desfrutar das tentativas de mestiçagem socioeconómica em curso.

Essa mestiçagem aparece em forma de notícias de jornal. Conta a Folha de São Paulo que, segundo o Plano Diretor do vanguardista, mas incompreendido, prefeito de São Paulo Fernando Haddad, vão avançar mais ZEIS (Zonas Especiais de Interesse Social). As ZEIS são áreas de habitação social dentro dos bairros nobres da cidade.

O objetivo é transformar São Paulo cada vez menos numa cidade de guetos, em que os ricos moram no anel mais próximo do centro, as empregadas dos ricos no anel seguinte, as empregadas das empregadas dos ricos no seguinte e assim sucessivamente numa espécie de galáxia urbana excludente.

Claro que o foco da notícia está no facto dos moradores mais pobres dos bairros mais ricos terem de percorrer quilómetros para fazer compras num supermercado acessível ao seu bolso porque os preços do comércio da região são proibitivos. Ainda há séculos de desigualdade a combater mas, como diz um secretário de Haddad, o que esses habitantes poupam (em tempo e dinheiro) nos transportes para ir para os trabalhos compensa.

João Almeida Moreira em Dinheiro Vivo.

Já estive por São Paulo por diversas ocasiões. Uma delas em trabalho, a participar numa conferência que decorreu na Universidade de São Paulo. Numa outra em lazer, a assistir a uma jornada da Taça Davis.

Na primeira vez, ficando alojado num hotel perto do rio Tietê, fui presenteado pelo mau cheiro de esgoto a céu aberto que este se tornou. Na segunda ocasião, como já tive oportunidade de relatar, fiquei localizado nas imediações do parque Ibirapuera, o pulmão desta cidade de contrastes.

Dos poucos jornalistas portugueses que escrevem sobre o Brasil, a opinião do João Almeida é sempre um farol no meio do nevoeiro que abunda nas televisões e jornais portugueses sobre a Operação Lava Jato. Do Brasil é melhor nem falar pois as notícias veiculadas nos media tem contornos de filmes policiais.

Felizmente nem tudo é mau. O Brasil não tem apenas corruptos e políticos irresponsáveis. Tem também Sílvio Santos e pegadinhas com a sua assinatura no seu canal (SBT).

A do Demônio Lança-Chamas, que tomei a liberdade de partilhar abaixo, aparece um Satanás com um maçarico em chamas a perseguir pessoas nas proximidades do metro de São Paulo. A título de curiosidade, esta pegadinha passou na SBT no mesmo dia em que passou na Record — estação de TV da qual Sílvio Santos já foi dono — uma entrevista de pouco mais de 30 minutos, na qual se deu o reencontro de Sílvio Santos com o Bispo Edir Madeiro (atual dono da Record) no Templo de Salomão, em São Paulo.

Haja sentido de humor ^_^.

Adenda: Soube à pouco que a TV Cultura se encontra sem verbas e encontra-se em risco de fechar. De lamentar…