Astrolábio Jukebox #25

Amy Winehouse – The girl from Ipanema

Anúncios

Garoto de Ipanema.

Ao contrário do que era esperado, a Copa 2014 não foi a Copa das Copas para a seleção canarinha. No entanto, este tem sido um ano de excelência para o Brasil no panorama científico.

Ora vejamos:

  • Abril 2014: A revista Physics World, do IOP Institute of Physics, dá destaque à pesquisa de ponta que se faz no Brasil. Especial enfoque é dado ao programa “Ciência Sem Fronteiras”– programa cujo objetivo consiste em possibilitar que alunos brasileiros vão para o exterior assim como captar pesquisadores jovens e/ou de alto gabarito para virem trabalhar para o brasil.
    Número completo pode ser acessado a partir do link http://mag.digitalpc.co.uk/fvx/iop/physworld/brazil14/.
  • Junho 2014: A conceituada revista Nature coloca a América Latina no epicentro da pesquisa do futuro. Especial laudatio é dado à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (a.k.a FAPESP) pelo modelo inovador de financiamento aplicado.
    Artigo completo da revista Nature pode ser acessado a partir do link http://www.nature.com/news/stars-of-south-american-science-1.15392. Um resumo deste em português pode ser acessado a partir do link http://cibfar.ifsc.usp.br/2014/06/16/fapesp-e-destaque-na-revista-nature/.
  • Agosto 2014: Artur Ávila recebe a medalha fields em Matemática em Seul. Dois dos pesquisadores formados nas escolas do IMPA — Artur Ávila e Fernando Codá Marques– são palestrantes principais no International Congress of Mathematicians (a decorrer em Seul até ao próximo dia 21 Agosto).

No futuro, Rio de Janeiro para além de acolher os jogos Olímpicos (em Agosto 2016), receberá também a próxima série de conferências International Colloquium on Group Theoretical Methods in Physics  (Group 31, por volta de Maio 2016) onde serão atribuídas duas premiações em física (medalha Wigner e o prémio Hermann Weyl)  ; Em Agosto 2018 irá ser a cidade anfitriã da cerimónia dos “prémios Nobel da Matemática” (ICM2018).

Graças a Ávila,  Rio de Janeiro e “Ipanema” foi projetado em telão gigante durante a cerimónia dos “medalhas fields” em Seul, não para mostrar bumbuns ao léu mas para mostrar o que este faz nos seus tempos livres. Podemos arriscar-nos a dizer que com Ávila, Ipanema deixou de ser apenas conhecida pela célebre música de Vinicius de Morais e Tom Jobim para passar a ser também conhecida como um lugar inspirador para fazer ciência. Nada que não se soubesse por quem conhece a fundo o IMPA e a realidade brasileira. A diferença agora é que com a premiação de Ávila, o IMPA atingiu o patamar de universidades prestigiadas como Princeton e Stanford.

Com toda esta boa onda, a fasquia do Brasil está elevada. Tanto para o IMPA, que vai ser co-responsável da organização do próximo congresso e cerimónia das medalhas fields, como para as restantes universidades brasileiras que irão [muito provavelmente] organizar eventos satélite et all. A Unicamp não será concerteza excepção à regra.

De minha parte, espero contribuir com uma gota de suor para o sucesso da pesquisa das universidades brasileiras além-fronteiras. O maior prémio será poder estar por cá em 2016 e em 2018 para participar em ambas as conferências et allDe parte dos brasileiros, faço votos para que contemplem esta boa onda de eventos e [futuras] premiações como uma possibilidade de alavancagem para o desenvolvimento do país.  Uma condição suficiente para que tal aconteça passa por se enterrar de vez o célebre “complexo de vira-lata“, popularizado por Nelson Rodrigues– Não por mim, mas pelo saudoso escritor e jornalista brasileiro de voz cavernosa.